Ministério do Turismo, Secretaria Especial da Cultura e Governo do Estado de São Paulo,
por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa,
e Paiol Produções Artísticas apresentam

FOTODOCUMENTAÇÃO

Nair Benedicto

Descrição

A fotografia hoje é um meio de expressão utilizado amplamente. Da pequena 3 x 4 aos trabalhos que envolvem criadores e artistas, em alterações diversas em montagens, em ressignificações, é difícil encontrar onde ela – fotografia – não esteja.

No nosso caso, vamos focar em duas correntes que se confundem muito: fotojornalismo e fotodocumentação. São parecidas e se entrelaçam, mas, em princípio, têm um diferencial importante. O fotojornalismo é a notícia, o fato.
É a junção da imagem com o caráter e o espírito crítico proveniente do jornalismo. Ajuda a dar credibilidade à informação textual.

A fotodocumentação está mais ligada a contar uma história. Pode ser notícia, mas não é necessariamente um ponto de partida. Não está ligada a um registro real. No mundo atual, cheio de desafios e solicitações, de um lado há um leque enorme de possibilidades, de diversidade dentro desta forma de linguagem, e de outro lado, questões de cunho moralista, com pessoas ansiosas por exercer censura em trabalhos mais ousados, que vão desde a exibição de nossos próprios corpos às questões sociais.

Portanto, de um lado temos a amplitude deste mundo em final ou início de tempo e de outro um retrocesso inimaginável, sobretudo das religiões. Um momento importante quando bons trabalhos de documentação fotográfica podem fazer a diferença para uma reavaliação de políticas públicas nas cidades, entre inúmeras outras questões.

Estrutura Necessária

A oficina será desenvolvida em formato on-line (via plataforma Zoom).
Os alunos deverão participar a partir de um computador.

Datas: 03, 05 e 10 de março.
Horário: das 19h às 22h.

Sobre Nair Benedicto

Nair BenedictoJornalista formada em Comunicações pela USP – Universidade de São Paulo, em 1971. Tem sua produção fotográfica voltada para temáticas sociais, especialmente as que envolvem mulheres, crianças, populações indígenas e ecologia.

Participou de várias exposições nacionais e internacionais como fotógrafa e editora, tendo trabalhos publicados em jornais, revistas e livros tanto no Brasil quanto no exterior. Tem fotos integrando os acervos do MOMA – Museu de Arte Moderna de Nova York, do Smithsonian de Washington, do MAM – Museu de Arte Moderna em São Paulo e no Rio de Janeiro, do Patrimônio Histórico da Cidade de São Paulo, da Coleção Pirelli-MASP e de vários colecionadores brasileiros e estrangeiros. Foi uma das fundadoras da Agência F.4 e do Nafoto – Núcleo dos Amigos da Fotografia, cuja atuação permitiu a abertura de importantes espaços para a fotografia.

A importância de sua produção fotográfica – já premiada por diversas vezes na área do jornalismo – foi também reconhecida com o Prêmio Trip Transformadores 2010. Fotógrafa homenageada no Foto POA de 2012, com a publicação do livro VI VER. Agraciada com o Prêmio Brasil – Fotografia Especial 2017 – do Ministério da Cultura e Porto Seguro.

Atualmente dirige a N Imagens, que concentra a veiculação de seu acervo e produção, e por meio da qual realiza workshops e palestras no Brasil e no exterior.